Cadeia Pública de Santa Quitéria continua abandonada e com prédio depredado após 3 anos do seu fechamento

O prédio no bairro Manduca Penteado, às margens da CE 176, está aberto por meio da guarita de recepção, onde antes havia uma grade de ferro que separava, permitindo que qualquer um possa adentrar ao local, já que não há nenhuma vigilância e tornando-se espaço propício para uso de substâncias entorpecentes e práticas de outros ilícitos.

A Voz de Santa Quitéria teve acesso ao presídio, tendo conferido todas as repartições, desde a parte administrativa até as celas e foi possível perceber como o imóvel foi depredado, restando tão somente as paredes e vem se desgastando com a ação do tempo e a falta de manutenção do Governo do Estado. Um exemplo é o letreiro “Cadeia Pública de Santa Quitéria”, que já não mais existe, apenas a logomarca do Estado. O portão de entrada – “trancado” com corrente e cadeado – e boa parte do imóvel estão cobertos por um denso matagal.

Fotos: Edielson Muniz/AVSQ

A situação não é isolada. O descaso com as antigas cadeias vem sendo praticado pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), que vem sendo cobrada desde o ano passado para dar uma devida destinação aos prédios. O caso mais recente foi em Quixadá, onde a Justiça determinou que seja isolada a área, bem como contratada vigilância patrimonial, limpeza e conservação.

Os fechamentos começaram a acontecer em 2019, após decisão do secretário da pasta Luís Mauro Albuquerque, para “redisciplinar” o Sistema Penal do Ceará, dominado por facções criminosas e palco de constantes fugas, rebeliões e mortes. Em Santa Quitéria, foi justamente a fuga de cinco detentos que decretou a desativação.

A penitenciária de Santa Quitéria foi inaugurada em 26 de janeiro de 2010, tendo custado R$ 1,3 milhão e com previsão de abrigar até 51 detentos. Quando fechada em 09 de junho de 2019, contava com 79 presos, que foram recambiados para as CPPLs na região Metropolitana de Fortaleza.

A reportagem fez inúmeras tentativas de contato com a SAP para ouvir sobre o assunto, mas não obteve retorno.

(A Voz de Santa Quitéria)